segunda-feira, 20 de novembro de 2017

Documentário sobre o Monitor Campista será lançado no Museu, nesta terça



O documentário “Monitor 183”, desenvolvido por um grupo de alunos do curso de Comunicação Social do Centro Universitário Fluminense (Uniflu), vai ser lançado nesta terça-feira (21/11), às 19h, com exibição no Museu Histórico de Campos, na Praça São Salvador. O material é fruto de uma demanda levada ao curso pelo professor e presidente da Associação de Imprensa Campista (AIC), Vitor Menezes, extraída na primeira reunião realizada no Arquivo Público Municipal Waldir Pinto de Carvalho, no primeiro semestre deste ano, envolvendo ex-funcionários e representantes do próprio Arquivo, pesquisadores e a AIC.O objetivo é trazer reflexão sobre a necessidade de reativar o Monitor Campista, jornal que encerrou as atividades por decisão do grupo Diários Associados Assis Chateaubriand em 15 de novembro de 2009, mesmo a empresa estando operando no azul.


O trabalho, que durou aproximadamente quatro meses, tem 26 minutos de duração e foi desenvolvido por seis alunos do 7° período do curso, que participaram da pesquisa e ouviram 11 pessoas, entre ex-funcionários do jornal (fotógrafos, repórteres e editores), além de uma historiadora, uma colunista e uma antropóloga. O roteiro ficou a cargo do professor Mozarth Dias, enquanto a pós-produção e finalização couberam ao professor Victor Hugo Berenger – com imagens de Armando Ribeiro e edição de Maurício de Castro, ambos do Uniflu. O trabalho é dos alunos Aline Mendes, Geovana Barcelos, Jhony Diorel, Marília Faria, Tatiana Martins e Romário Junior.  A projeção será precedida pelo curta "Correntes", do 8° período, seguida de debate.

– O nome do projeto é ‘Monitor 183’ porque o jornal teria hoje 183 anos e seria o segundo mais antigo do Brasil – quando fechou, era o terceiro mais antigo do país e o quinto da América do Sul. E também vendo essa necessidade de trazer, de relembrar a história que o jornal contou em quase dois séculos. Isso sem falar na importância de deixar viva essa busca pela implantação da marca Monitor Campista no cotidiano do morador da cidade, como mídia alternativa. É uma busca para comover entidades e também empresários, buscar essa discussão para reativar uma mídia que traga informações isentas de qualquer tipo de influência. Na realidade, a gente está trazendo à tona um debate sobre o fatídico fechamento do Monitor Campista, para tentar comover a população e as entidades que tanto tinham a colaboração desse jornal – informa Mozarth.


O documentário mostra a opinião de ex-funcionários que atuavam na empresa na época do fechamento e também fala sobre o reflexo da realidade midiática da região, preocupação também dos profissionais de mercado que participaram do projeto.

O curso de Comunicação também realizou um seminário sobre o tema, aberto a todos os alunos. Para este ano, estavam previstas uma exposição no Arquivo Público Municipal e uma edição especial do jornal, mas que, por motivos alheios à vontade das pessoas envolvidas na mobilização, não puderam acontecer.


O fechamento – O Monitor Campista foi fechado pelo Grupo Associados em novembro de 2009, mesmo operando com finanças capazes de bancar suas atividades. Naquele ano, o jornal deixava de circular o Diário Oficial da Prefeitura de Campos, o que deu um baque nas finanças da empresa. Após o encerramento das atividades, chegou-se a fazer um movimento pela reabertura do jornal, tendo inclusive havido uma tentativa de arrecadar recursos para a compra da marca Monitor Campista, que não conseguiu o valor exigido pelo presidente do Jornal do Commercio, Maurício Dinepi, que, anos depois, a cedeu (confira aqui) gratuitamente para a própria prefeitura.


quarta-feira, 15 de novembro de 2017

Pobre cidade rica



Num momento de crise e quando a população leva mais uma garfada com bandeira vermelha no consumo de energia elétrica, o blog flagrou, nos últimos dois dias (terça e nesta quarta-feira, 15/11), trecho da Rodovia RJ-216 (que liga Campos a Farol de São Thomé), entre o Parque Imperial e a Usina Santo Antônio, com as luzes dos super postes acesas, conforme mostram as fotos flagradas nos dois sentidos.


Convenhamos, um desperdício injustificável.

terça-feira, 17 de outubro de 2017

Rotary promove passeio ciclístico em Campos neste domingo, dia 22

Não é novidade pra ninguém que o ciclismo é uma prática que vem tendo, a cada dia que passa, mais adeptos em Campos. E, para os amantes desse esporte, uma boa oportunidade para exercitar é o Passeio Ciclístico promovido pelo Rotary Club de Campos dos Goytacazes-Planície, que acontece no próximo domingo, 22/10, tendo como concentração a pracinha do Canhão, no Centro, a partir das 7h.

O Passeio Ciclístico também visa lembrar sobre a importância do combate à poliomielite, cujo dia mundial acontece em 24/10, mas como cairá numa terça-feira, o Rotary optou em antecipar a conscientização.

Confira abaixo mais informações sobre o evento:


terça-feira, 10 de outubro de 2017

Carrinhos de Rolimã no "1° Largadão da Tribo", no Dia da Criança


Quem viveu numa época em que os carrinhos de rolimã garantiam diversão pra toda a garotada tem uma ótima oportunidade de matar as saudades dessa brincadeira que acompanhou muitas gerações. E quem nunca viu, também terá a chance de ver o que é uma boa brincadeira.

É que para aproveitar o Dia da Criança, a ser comemorado nesta quinta-feira, 12/10, a igreja Tribo de Gade vai promover o “1° Largadão da Tribo”, que contará com brincadeiras na condução de carrinhos de rolimã.

O evento vai começar às 14h30, quando um trecho da rua João Maria, próximo ao campo do Ipiranga, será fechado até a Avenida Arthur Bernardes, no Capão, em Campos dos Goytacazes, para dar lugar aos carrinhos.

De acordo com a organização do evento, será uma boa oportunidade voltada para o relacionamento familiar por meio de brincadeiras saudáveis.

Para participar é só se inscrever na página no seguinte endereço: www.facebook.com/profile.php.

quinta-feira, 28 de setembro de 2017

"Bola nas costas" de Rafael Diniz


Enquanto o prefeito Rafael Diniz se esforça pra passar pra população que precisa economizar por ter encontrado uma prefeitura quebrada por sua antecessora, ao menos uma parte de sua equipe parece não ter o mesmo zelo. Nesta sexta-feira (28/09), uma diretora e uma das duas vices foram exoneradas da Escola Municipal José do Patrocínio, localizada no Conjunto Santa Maria, bairro da Penha.

Até aí, seria apenas um procedimento de troca de direção, provavelmente por conveniência de vereador que indicou dois diretores e agora decidiu que não os quer mais ocupando os cargos para os quais havia indicado no início do ano. Coisa comum na política, não só Goytacá, porque o mecanismo do toma-lá-dá-cá é o mesmo em todos os cantos do país e isso se tornou lugar comum.

No entanto, o que não se entende é o critério adotado, tomando por base que a administração atual fala aos quatro cantos que está quebrada, trocar duas DAS concursadas, ou seja, que recebiam a metade do valor da gratificação, por dois não concursados, ganhando o valor normal da gratificação, ou seja, o dobro do que ganhavam as que foram exoneradas.

Das duas uma: ou Rafael Diniz está mentindo para a população quando diz que a prefeitura não tem dinheiro, o que parece não ser seu estilo, ou está levando "bola nas costas" de uma parte da equipe que, nesse caso, está onerando mais a folha de pagamento, numa prefeitura dita quebrada.

Em tempo: inconformada, a comunidade local já estaria se mobilizando para tentar sensibilizar o prefeito para reverter a situação.

quarta-feira, 27 de setembro de 2017

Mostra de Fanzines na inauguração da 1ª Fanzinoteca do Estado do Rio, no IFF Macaé


A I Mostra de Fanzines, que marcará a inauguração da 1ª Fanzinoteca do Estado do Rio, já está com inscrições abertas. De acordo com a organização do evento, no momento há uma convocatória para expositor que dará direito a uma mesa para troca e venda publicações independentes e fanzines no dia do evento, que vai ser sediado no Instituto Federal Fluminense Campus Macaé.

Tudo porque a Fanzinoteca IFF Macaé está prestes a ser inaugurada, com o propósito de preservar a memória gráfica/editorial independente, estimular a produção autoral contra-hegemônica e fortalecer a cultura do zine junto às novas gerações.


Para quem não sabe, o fanzine (do inglês fanatic+magazine) é uma revista artesanal amadora, feita de forma individual ou coletiva e que se constitui numa mídia contra-hegemônica que permite ao (s) autor (es) total domínio sobre conteúdo, formato, público e meio de distribuição. Surgiu nos anos de 1930 e, portanto, trata-se de uma espécie de rede social pre-internet, que integrava pessoas por meio de mídia tátil e produzida por meio de sistemas compositivos e processos de impressão acessíveis e de baixo custo, tal como a fotocópia. “Se você pensa que por isso o zine é coisa do passado, está enganado. O zine impresso ainda é muito apreciado e circula pelos Correios e em eventos pelo mundo todo. No Brasil, o fanzine, ou ‘zine’ surgiu nos anos de 1960 e, desde então, vem movimentando e integrando pessoas e fazendo circular ideias, processos criativos e servindo de suporte para o cenário cultural independente. Uma das mais novas vertentes na área de produção fanzineira é sua presença nas instituições de ensino”, informa a assessoria do evento.


Segundo o designer gráfico e cartunista Alberto de Souza, o Beralto, o fanzine tem sido utilizado no Instituto Federal Fluminense Campus Macaé como um mecanismo de estímulo aos talentos individuais, à produção autoral e também como ferramenta no ensino e aprendizagem, podendo servir tanto como suporte para produção textual como ser usado também como processo avaliativo nas escolas. O projeto IFanzine, coordenado pelo Beralto edita os fanzine PEIBÊ, que ganhou em 2016 um troféu nacional, o Ângelo Agostini, na categoria melhor fanzine de quadrinhos.

O projeto de fanzines do IFF Macaé, após quatro anos de atuação está concretizando um objetivo alentado há tempo – o de ocupar um espaço físico para montagem e preservação de acervo de fanzines, obtidos à base de troca pelo projeto. “As Fanzinotecas, embora sejam poucas que existam fisicamente, são uma instituição internacional, sendo a primeira no mundo a Fanzinothèque de Poitiers, na França. A fanzinoteca que ora será inaugurada no IFF Macaé, será a segunda fanzinoteca física do país, sendo a primeira, a Fanzinoteca Mutação em Rio Grande, RS”, informou Beralto.

Para marcar a inauguração deste espaço dedicado às produções fanzineira e publicações independentes, que acontecerá em 11 de outubro, a partir das 14h, no IFF Macaé, abriu-se uma convocatória aberta para mostra e exposição de fanzines e artistas. Fanzineiros que queiram participar do evento poderão fazê-lo nas duas modalidades de colaboração:
Enviando um ou mais exemplares impressos do (s) Zine (s) que serão expostos no dia da mostra e, posteriormente, integrado (s) ao acervo permanente da Fanzinoteca IFF Macaé.O prazo limite para envio das publicações: 30 de setembro.

Já na segunda modalidade, a pessoa ou coletivo se inscreve mediante o preenchimento de um formulário e terá direito a uma cadeira e mesa para expor/trocar/vender sua publicação (sob sua inteira responsabilidade) no dia 11 de outubro de 14 às 18h no Instituto Federal Fluminense Campus Macaé.

Acesse o formulário de inscrição aqui

(com assessoria)

quarta-feira, 13 de setembro de 2017

Conselho Tutelar CT-I tem novo endereço em Guarus, Campos


O núcleo do Conselho Tutelar CT-1, em Campos dos Goytacazes, já está funcionando em novo endereço: Avenida Carlos Alberto Chebabe, número 634, Guarus, de 8h às 18h, além dos plantões noturnos.

A mudança de sede foi reivindicação dos conselheiros que atuam no núcleo, uma vez que vai permitir melhorar ainda mais o atendimento às pessoas que procuram os serviços do órgão.

O núcleo C-1 pode ser acionado pessoalmente ou pelo telefone (22) 98829-4368 e os e-mails: tutelarg1@gmail.com e conselhotutelarcampos@gmail.com (geral), para fazer qualquer denúncia sobre desrespeito ao Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA).

Confira abaixo a área de abrangência do CT-I em Guarus:

Nova Canaã, Fundão, Lagoa das Pedras, Parque Aldeia, Aldeia II, Parque Boa Vista I, Parque Boa Vista II, Parque Cidade Luz, Parque Guarus, Parque Lebret, Parque Santa Helena, Parque São José, Parque São Mateus, Parque Vera Cruz, Parque Santos Dumont, Sapucaia Três Vendas, Parque Bonsucesso, Parque Visconde de Ururaí, Parque Maracanã, Parque Niterói, Parque Pomares, Vila Nova, Cobra Velha, Conselheiro Josino, Espirito Santinho, Faísca, Giro Faísca, Guandu, Km 8, Km 9, Km 10, Km 11, Km 12, Km 13, Km 14, Km 15, Matutu Morro do Côco, Murudum, Palmares, Ribeiro Amaro, Boa Vista, Santa Maria, Santo Eduardo, Chave do Paraíso, Mata da Cruz, Mutuca.